Skip to main content

O fim da pandemia é o principal desejo do mundo, que ainda sofre com o coronavírus

Em 11 de março de 2020, a OMS declarou o novo coronavírus como um problema global. E parece que após mais de um ano, o fim da pandemia está longe de acontecer.

No Brasil, a doença trouxe números catastróficos. Em abril de 2021, houve recorde no número de mortos em um só dia: foram 4.249.  É como se mais de 21 aviões, com 200 assentos, caíssem no mesmo dia.

Entre a resistência quanto às medidas de distanciamento, negacionismo e índice de vacinação ainda lenta, fica o desejo pela retomada de uma vida normal e mais segura.

Mas o que fazer para acelerar o fim da pandemia? O que os cientistas dizem? Quais dados são importantes? Essas respostas você confere a seguir.

O fim da pandemia está perto?

O relaxamento nas medidas sobre isolamento e distanciamento, trouxe a algumas pessoas a sensação de que a pandemia está perto do fim.

Países como os Estados Unidos, Inglaterra e Brasil reduziram suas intervenções de saúde pública, o que levou mais pessoas a frequentarem ruas e bares. Mas não é bem assim.

A pandemia só estará minimizada quando o vírus da Covid-19 e suas variantes estiverem controlados no mundo todo – e nesse momento, essa é uma realidade distante. O Brasil, por exemplo, ocupa apenas a 68ª posição no ranking global de vacinas por média da população.

Segundo Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor da OMS, o ideal para 2021 é a de vacinar, pelo menos, 10% da população de cada país para alcançar a meta global de 40%.

Entretanto, até agosto de 2021, apenas 39% da população mundial havia recebido uma dose, enquanto nos países mais pobres esse dado é de apenas 1,7%.

Entenda o que é uma pandemia

Entender como são declarados os níveis de determinadas doenças no mundo é importante para saber como é a involução da doença até que seja declarada controlada.

Nesse caso, podemos citar os surtos de epidemias, pandemias e endemias:

O que é uma pandemia

É quando uma determinada doença se espalha por todo o mundo sem que possa ser controlada.

Além do novo coronavírus, a gripe espanhola, a peste bubônica, a varíola, a cólera e a gripe suína são pandemias conhecidas e, felizmente, controladas.

O que é uma epidemia

As epidemias são doenças que podem ser controladas em determinadas regiões. É o caso da dengue, malária e da febre amarela, por exemplo.

O que é endemia

São casos em que as doenças podem até atingir todo o planeta, mas ocorrem em surtos com números considerados “normais”, pela OMS.

Covid-19: fim da pandemia e começo da endemia

A esperança dos cientistas é que a Covid-19 involua de pandemia para endemia em pouco tempo, após o avanço no número de vacinados.

Nesse caso, o vírus ainda circula pelo planeta, mas com menos força para causar internações e mortes.

Uma das medidas seria aguardar pela adaptação do sistema imunológico dos humanos, mas o risco seria enorme. Isso porque mutações do vírus, como o delta, já têm a capacidade de driblar as defesas no organismo humano.  

Por isso, é fundamental tomar medidas para conter ao máximo a propagação. Afinal, mesmo a vacinação em idosos e imunossuprimidos precisa de uma dose de reforço.

Como acompanhar o fim da pandemia

Com tantas incertezas, a melhor forma de acompanhar o fim da pandemia – ou reforçar a esperança de que isso aconteça logo – é ficar de olhos sobre como estão os dados da Covid-19 no Brasil.

Para isso, a Zetta criou o Covid em 15, uma plataforma que antecipa em 15 dias as informações sobre os casos totais, novos casos, disponibilidade de leitos e até mesmo a taxa de vacinação em muitas cidades do Brasil.

Acesse agora mesmo o site: covidem15.zetta.health, confira como estão os números da Covid-19 na sua cidade e reforce os esforços para o fim da pandemia.

Leave a Reply